Pesquisa Qualitativa Online – Principais Ferramentas

As ferramentas digitais já fazem parte da realidade da pesquisa qualitativa tradicional – uma evolução e uma adaptação à realidade atual: elas funcionam como elementos complementares, oferecendo novas possibilidades de coleta de informações e de enriquecimento e ilustração de dados.

Em função do caráter multimídia do meio online, através de fotos, vídeos, música e links, é possível dar mais vida aos estímulos de pesquisa e ao conteúdo gerado pelos respondentes.

Esta riqueza de representações favorece o entendimento do objeto estudado, porque permite traçar um retrato mais dinâmico e preciso de um perfil de público, de um comportamento, de um estilo de vida, de um conceito, de uma ideologia, de uma cultura.

Os Protagonistas do Mundo Digital na Pesquisa Qualitativa

As ferramentas digitais mais presentes na pesquisa qualitativa são blogs, comunidades, fóruns online e aplicativos.

QUANDO USAR?

Plataformas de fórum e comunidades on line

Plataformas de fórum e comunidades online ➨ funcionam melhor quando se dispõe de um prazo maior na condução do estudo: na pesquisa com comunidades online, por exemplo, é preciso dar tempo ao painel, idealmente 3 semanas, porque o padrão é começar num ritmo lento, com respostas diretas e objetivas e, à medida que o estudo avança, conseguir mais sofisticação nos feedbacks, devido à maior interação entre os membros e entrosamento com o tema.

Blogs

Blogs ➨ são aplicáveis e funcionam bem com prazos menores – 5 a 7 dias. Eles têm o espírito de um diário: são fáceis de usar e têm como diferencial a possibilidade do participante personalizar sua página, aumentando o nível de envolvimento com a tarefa. Por terem um caráter mais pessoal e por estarem associados a textos mais longos, os blogs são ferramentas que estimulam menos a interação entre os participantes (o que muitas vezes nem se coloca como exigência do estudo; apenas o pesquisador gerenciador acessa as postagens).

APPs

APPs ➨ tem uma forte aura de modernidade, tendem a ser bastante intuitivos e exploram um canal cuja conexão com o consumidor é enorme, quase indissociável – muitas pessoas têm o celular como extensão do próprio corpo e permanecem conectadas a ele 24 horas por dia.

A grande vantagem dos APPS é permitir o registro do comportamento do consumidor no momento em que ele acontece (e não apenas de memória) – durante a compra em um determinado PDV, no uso de um produto ou serviço, na presença em um evento etc.

Para que os APPs consigam ser realmente eficientes, é fundamental que estejam na língua materna do usuário. Pode parecer óbvio, mas já tivemos projetos aplicados no Brasil com APP em inglês, tendo sido enviado aos participantes um tutorial em português para uso e navegação. Obviamente, foi um desastre, com inúmeros erros e desencontros na interação com a ferramenta.

Grupos pela internet

Grupos pela internet ➨ prática ainda pouco difundida: isto se justifica pela dificuldade de manter a atenção dos participantes, estando todos em ambientes distintos e dispersivos; pela dificuldade de captar o mood real do grupo (há muitos delays de transmissão); pela limitação na apresentação de estímulos; e, certamente, pela baixa qualidade de conexão de internet e de telefonia no Brasil.

Nos grupos online é realmente desafiador estabelecer uma dinâmica produtiva e criar uma relação de parceria e cumplicidade com o grupo – o distanciamento físico esfria a interação.

Entrevistas individuais por Skype

Entrevistas individuais por Skype ➨ especialmente útil para ouvir experts/formadores de opinião, cuja disponibilidade de tempo e deslocamento é bem menor do que de um consumidor comum.

A interação online um por um tem se mostrado eficiente, quer porque permite maior empatia entre entrevistado/ entrevistador, quer porque mantém o foco exclusivo no respondente, evitando distrações.